• qua. fev 21st, 2024

Bonito 21K tem recorde de público e muitas histórias de superação

Provas de corrida de rua e ciclismo de estrada levaram 6 mil pessoas a Bonito e reuniram histórias emocionantes de superação pelo esporte

PorDa Redação

8 dez 2023
Principal destino turístico do MS foi palco de prova eletrizante. Foto: Gleison Nascimento
Principal destino turístico do MS foi palco de prova eletrizante. Foto: Gleison Nascimento

A 9ª edição da Bonito 21K foi realizada com sucesso entre os dias 1 e 3 de dezembro, reunindo 2.060 atletas de todo o Brasil para provas de corrida de rua e ciclismo de estrada e movimentando cerca de 6 mil pessoas na cidade nesse período. A prova se consolida como o maior evento esportivo do interior de Mato Grosso do Sul e faz parte do calendário oficial de eventos de Bonito, pelo impacto positivo gerado para a cidade, com sua 10ª edição já confirmada para 2024, novamente no primeiro fim de semana de dezembro. Ao todo, mais de 200 pessoas trabalharam na realização do evento.

No sábado, com largada 16h45, aconteceu a prova de corrida, com percursos de 5 km, 10 km e meia maratona. Uma equipe de 10 árbitros da Federação de Atletismo de Mato Grosso do Sul (Fams) acompanhou a prova. Com sensação térmica beirando os 40 graus, a organização reforçou os cuidados, e a hidratação contou com água, isotônico, e para o brinde final foi distribuída aos atletas Heineken 0.0, patrocinadora do evento. “Tivemos vários pontos de hidratação na ida e na volta, gel, isotônico, a prova a cada ano que passa está melhorando a experiência para os atletas, e isso é uma satisfação para toda a equipe da Bonito 21K, prova que já está conhecida nacionalmente”, comenta André Milani, diretor técnico da Bonito 21K.

Prova disso é que a corredora Suzete Antonieta Lizote, de 54 anos, veio de Itajaí, Santa Catarina, para participar da prova pela primeira vez. Ela foi a campeã dos 10 km na categoria feminina, com tempo de 43:00.026. “Eu tenho o propósito de conhecer o Brasil todo correndo em todos os estados, esse é o 13º em que estou correndo. Bonito, além de ser uma cidade muito linda, permite a gente aliar os passeios com a corrida. E eu vim para ganhar”, afirma Suzete. Nos 10 km categoria masculina, o primeiro lugar ficou para Ederson Rodrigo de Jesus, com tempo de 35:48.542.

Na meia maratona masculina, o primeiro lugar foi para o tricampeão Glenison Gilbert de Carvalho, com tempo de tempo: 1:12:09.378. Na categoria feminina, a também tricampeã Janine Rodrigues de Oliveira, de Iguatemi, foi a primeira colocada, com tempo de 1:28:17.269. Nos 5 km, outro tricampeonato: Samael Medeiros Coelho Cavalcante, com tempo de 18:14.800. Na categoria feminina, a campeã foi Francielle Magalhaes Ferreira, de São Gabriel do Oeste, tempo de 22:22.526. Em 2022, ela foi campeã dos 10km, e neste ano ganhou em uma nova categoria. E o que faz esses corredores voltarem tantas vezes para correr em Bonito? “Primeiro pelo lugar, que é bastante diferenciado, e também porque é uma prova muito gostosa, porque é uma das maiores do Estado, então assim, a sensação, a vibração, é outra”, resume Samael Medeiros.

Atletas comemoram resultado da corrida. Foto: Gleison Nascimento
Atletas comemoram resultado da corrida. Foto: Gleison Nascimento

A Bonito 21K todo ano reúne diversas histórias emocionantes e de superação, além de mostrar o poder de união que o esporte tem. Arthur Fabro, Stella Mello e o filho Gael, de 6 anos, participaram juntos: os pais da meia maratona, e o filho da prova kids. Já Aparecida Helena, de Corumbá, corria para comemorar a cura da filha, Raphaela. “Ano passado eu ia participar da prova, mas minha filha descobriu que estava com leucemia. Fiquei com ela internada no hospital em isolamento, mas com a honra e a graça de Deus e de Nossa Senhora a minha filha foi curada e está aqui com a gente, essa corrida é para ela”, comenta, emocionada, Aparecida. No próximo ano, após a recuperação completa, elas planejam correr juntas.

Prova de ciclismo teve várias surpresas e muita emoção na chegada

No domingo, com largada às 7h, foi realizada a prova de ciclismo, com percursos de 53 km e 121 km, modalidades speed e MTB (mountain bike). Nos 53 km, os vencedores da categoria masculina foram Gilmar Elias Batista Junior (speed), tempo de 01:35:05, e Samuel Albuquerque Ventura (MTB), tempo

de 01:44:09. Entre as mulheres, saíram campeãs Carolina Dolzan (speed), tempo de 01:41:52, e Marcia Coronel da Silva (MTB), tempo de 01:59:20.

Uma coisa que chamou atenção foi que Samuel Albuquerque Ventura, primeiro lugar nos 53 km MTB, tem apenas 13 anos de idade. Incentivado pela família, ele começou na modalidade com 12 anos e já participa de provas junto com adultos. E ele não era o único que chamava atenção pela pouca idade. Lukas Eduardo da Silva Aguiar, de 12 anos, também pedalou nos 53 km, categoria speed. Ele e o pai, Weslei, que é ciclista desde 2002, participaram juntos da prova. “Meu pai pedala e ele me incentiva desde criança. Nós treinamos juntos quase todos os dias”, conta Lukas.

Na prova longa de 121 km, modalidade speed, Iago Padovani foi o campeão, com tempo de 03:11:20. Ele exaltou o trabalho em equipe como responsável pela vitória. “Chegar sozinho em uma prova tão longa e tão quente como essa é muito difícil, a gente fez um trabalho muito bom em equipe. Vence quem não solta o osso, e eu falei que ia vencer de qualquer maneira”, conta Iago. No MTB, André Silas Oliveira foi bicampeão da modalidade, com tempo de 03:13:09. Entre as mulheres, a campeã da categoria MTB foi Karen Olimpio, com tempo de 04:04:38.

Já na categoria speed 121 km, Patrícia Mayara Busto, que veio de São Paulo, levou todas as premiações. Ela foi a primeira colocada, com tempo de 03:15:15, e ganhou os prêmios de Sprint Intermediário e Rainha da Montanha. Ela também recebeu a Medalha do Desafio, novidade da edição deste ano, por ter participado de uma prova de corrida no sábado e de ciclismo no domingo. No sábado, ela correu 10 km e ficou em 5º lugar na categoria feminina, subindo no pódio. “Eu faço triatlo e ciclismo em São Paulo, fiquei sabendo que tinha essa prova aqui em Bonito e pensei: vai ser a melhor coisa do mundo, porque vou unir uma prova com viagem e passeio. E foi isso mesmo que aconteceu. A estrutura da prova é maravilhosa, ano que vem vamos voltar de caravana”, revela Patrícia.

Lixo gerado pela prova foi recolhido e teve destinação adequada

Por ser realizada em um dos mais visitados destinos de ecoturismo do Brasil e do mundo, a Bonito 21K aliou a prática esportiva com a preservação do meio ambiente. Por meio de uma parceria com a MS Pantanal, a Sanesul e a startup Ciclo Azul, todo o lixo, tanto do percurso da prova quanto da Praça da Liberdade, onde aconteceram as largadas, foi recolhido e teve a destinação correta. Resíduos recicláveis foram para cooperativas e os orgânicos serão transformados em um substrato que será utilizado na produção de hortaliças e no cultivo de árvores nativas da região.

“A Bonito 21K é uma prova para todos, a gente tem toda a preocupação técnica, com a aferição dos resultados pelas entidades competentes e prêmios em dinheiro, contemplando os atletas de elite, mas também oferecendo a premiação por faixa etária, que contempla os atletas amadores. Ver a cidade completamente lotada por conta da prova é uma satisfação, porque o turismo de Bonito precisa desse movimento”, resume a organizadora da prova, Kassilene Cardadeiro.