• qua. fev 28th, 2024

Pé na estrada: turismo sem aglomeração

PorTayana Vaz

9 jul 2021
No MS você encontra destinos incríveis para você relaxar e curtir a natureza. Foto: Divulgação

Turismo e natureza, uma combinação perfeita para quem deseja se desligar da rotina durante a pandemia do coronavírus. A opção pelo ecoturismo com atividades ao ar livre e sem aglomeração vem liderando a retomada das atividades turísticas.

Em Mato Grosso do Sul, alguns dos principais destinos de turismo de natureza como Bonito, Jardim, Miranda e Bodoquena já reabriram seus atrativos e para amenizar as perdas com a pandemia, descontos para visitantes sul-mato-grossenses, nativos ou residentes vem prevalecendo nos atrativos.

Se você quer se planejar para recarregar as energias, o Rotas do MS listou 9 destinos onde os passeios são ao ar livre e sem aglomerações.

1 – CORGUINHO:

O município de Corguinho é um perfeito destino de turismo de aventura para uma viagem de bate e volta, fica a 100 km de Campo Grande. De carro, o tempo estimado de viagem de é de 1h30 pela rodovia MS-080.

A lista de atrativos é extensa: rios, córregos cachoeiras, refúgios de animais silvestres, cavernas, sítios arqueológicos, balneários fluviais com atividades esportivas diversas, como boiacross, canoagem, canionismo, caminhadas contemplativas, pesca e solte, rafting, camping, trekking, ciclismo, escalada em rocha, trilhas, observação de espécies da fauna e da flora, quilombolas, ciclismo ecológico e até observação astronômica.

Mas lembre-se: não há infraestrutura de acesso e não espere luxo nos atrativos.

2 – BONITO:

Distante 297 km de Campo Grande pela rodovia BR-060, Bonito é um destino perfeito para quem curte paisagens naturais, sossego e lembrança de uma viagem incrível. A área rural do município é um paraíso com cachoeiras, grutas, aquário natural e rios de águas cristalinas. São pelo menos 40 atrativos em meio a natureza para você aproveitar.

3 – JARDIM:

Jardim, da mesma forma que Bonito, fica na região do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, fica a 237 km de Campo Grande, com acesso pela rodovia BR-060. O município por muito tempo foi ofuscado pelo seu vizinho, Bonito, distante apenas 70 km, mas nos últimos anos vem atraindo cada vez mais turistas interessados em suas belezas naturais, como o Buraco das Araras e a Lagoa Misteriosa, por exemplo. Vale a pena conferir essa rota!

4 – BODOQUENA:

Um dos municípios que fazem parte da unidade de conservação Parque Nacional da Serra da Bodoquena. Distante 271 km de Campo Grande, só a contemplação ao parque e sua imensa diversidade de aves e mamíferos já faz valer a pena, mas Bodoquena é famosa pela grande quantidade de cachoeiras abertas à visitação.

Na trilha ecológica da Boca da Onça, em meio a 4 km de mata, você tem a chance não apenas de contemplar as belezas da natureza do lugar, mas até mergulhar em piscinas naturais de água transparente e ainda tomar banho debaixo de algumas cachoeiras. É importante saber que nem todas possuem pontos de banho para os turistas.

5 – AQUIDAUANA:

Porta de entrada para o Pantanal, para quem segue na rodovia BR-262 partindo de Campo Grande, são 140 km até Aquidauana. São 74 km entre Aquidauana e Miranda, depois mais 191 km até Corumbá.

Embora o cartão de visita seja o Pantanal, Aquidauana apresenta uma grande variedade de atrações turísticas, como as belezas naturais da Serra de Maracaju, um conjunto de montanhas que divide o Estado de Mato Grosso do Sul, a leste os campos de cerrado e a oeste a planície pantaneira, com cachoeiras, cavernas e até praias de areia branca às margens do Rio Aquidauana.

6 – MIRANDA:

Miranda fica a 207 km de Campo Grande, é um dos municípios mais antigos de Mato Grosso do Sul. Fundada em 1778, conhecida como Portal do Pantanal por ter parte da sua área urbana inserida em território pantaneiro.

Com 25 mil habitantes, Miranda tem no turismo rural uma de suas principais referências econômicas. No município há uma abundância de fazendas turísticas como opções na hora de fazer a sua escolha, como a Fazenda São Francisco e a Fazenda Caiaman, por exemplo, e todas abertas para visitação o ano inteiro.

7 – COSTA RICA:

Localizado na região norte de Mato Grosso do Sul, a 375 km de Campo Grande, Costa Rica é um verdadeiro paraíso para quem curte natureza. A cidade é cercada por quatro parques naturais abertos aos visitantes para o contato com a mata virgem, exploração de trilhas, sítios arqueológicos de mais de 11 mil anos: Parque Estadual Nascentes do Rio Taquari, Parque Nacional das Emas, Parque Natural Municipal da Lage e Parque Natural Municipal Salto do Sucuriú.

8 – PANTANAL:

Coração de Mato Grosso do Sul e se a ideia é contemplar a natureza, com certeza é impossível não pensar no Pantanal. São tantos atrativos que fica até difícil a escolha sobre o que fazer durante o passeio, preferencialmente acompanhados de guias. São 230 espécies de peixes, 650 tipos de aves, 80 espécies de mamíferos e 50 espécies de répteis. É um dos principais destinos de turismo ecológico do Brasil, com fama internacional. O acesso ao Pantanal é pela rodovia BR-262.

A maioria das fazendas localizadas no Pantanal não só oferecem boa infraestrutura e atendimento ao turista como também apresentam conscientização ecológica e manutenção da cultura pantaneira.

É um segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações.

9- JARAGUARI

Para quem não conhece, Jaraguari é um lugar de águas cristalinas, seus rios, cascatas e cachoeiras encantam os olhos dos turistas. Repleto de oportunidades, o turismo em Mato Grosso do Sul possibilita experiências que valorizam o contato com a natureza.

Do Pantanal a Jaraguari, é possível passar dias ou apenas horas em rios e cachoeiras do Estado, conhecendo um pouco dos biomas e da importância de preservar a natureza.  

A ‘Cachoeira Secreta’, um paraíso escondido entre a mata fechada e muito bem preservada pelo proprietário de uma fazenda em Jaraguari, a 37 quilômetros da Capital, é a queridinha das trilhas.

Ela está localizada dentro de uma propriedade particular do município, por isso, não adianta pegar o carro e fazer a linha “intruso ou invasor” para chegar à cachoeira. É preciso autorização do proprietário e chegar até o local através de empresas autorizadas.

Além disso, o município oferece trilhas e cachoeira incríveis.

Com essas opções fica fácil escolher a sua rota para se desligar um pouco e curtir a natureza exuberante que Mato Grosso do Sul oferece.