• qua. fev 21st, 2024

‘Doguinhos’ são companhia para turistas em Furnas do Dionísio

PorDa Redação

13 fev 2021
Doguinhos são companheiros em passeio inesquecível pela Furnas do Dionísio. Foto: Tayana Vaz
Doguinhos são companheiros em passeio inesquecível pela Furnas do Dionísio. Foto: Tayana Vaz

Região fica pertinho de Campo Grande e turista gasta muito pouco; tem até comida caseira

Furnas do Dionísio, região de quilombos localizada ao sul do município de Jaraguari, a aproximadamente 44 quilômetros de Campo Grande, é uma das principais comunidades negras de Mato Grosso do Sul, berço de gente acolhedora e celeiro de belezas naturais incríveis. Lá é um dos poucos lugares em que o turista consegue desfrutar de cachoeiras, trilhas e morros sob a ‘escolta’ de três doguinhos dóceis, sem raça definida. São eles o caramelo Pitoco, e os pretinhos Negão e Tempestade.

Cachoeira do córrego Boa Vista, na Furnas do Dionísio. Foto: Osvair Barbosa

O ponto de encontro mais conhecido é o Recanto da Dona Ceci, da proprietária Ceci Barbosa da Silva, cozinheira de mão-cheia que oferece refeições caseiras deliciosas. Ela tem apoio do filho Osvair Barbosa da Silva, guia de turismo que conhece cada palmo de chão. Ele também é responsável pelos cães que o acompanham nos percursos em meio aos visitantes. Espertos, os animais ‘escalam’ morros e atravessam corredeiras dos córregos com uma destreza de dar inveja.

Para chegar lá, usando a Capital de Mato Grosso do Sul como referência, siga pela rodovia MS-010, saída da UCBD, sentido a Rochedinho. Ao passar por Rochedinho, o viajante irá encontrar uma estrada vicinal e deve seguir por ela por alguns quilômetros, até chegar a um entroncamento, onde está a pedra com pinturas de Dionísio e Tia Eva. Lá, vire à direita e siga por alguns quilômetros até chegar a mais um cruzamento. Aqui, virando à esquerda, terá acesso ao Recanto da Ceci. Não há motivos para preocupação, pois todo o trajeto é sinalizado com placas.

Caminho até a chegada é todo sinalizado. Foto: Tayana Vaz

Atrativos

Boa parte dos passeios partem do Recanto da Ceci, que é preparado para receber os turistas. No local existe um barracão coberto, com internet Wi-Fi, banheiros, chuveirão e bar com água, refrigerante, cerveja e até sorvete. O guia Osvair trabalha com mais cinco guias para poder atender a demanda. Os passeios geralmente duram meio período e, por conta da pandemia do coronavírus (Covid-19), comportam até 20 pessoas.

Banho de cachoeira relaxa e recarrega as energias. Foto: Osvair Barbosa

“Nos últimos meses, a média tem sido de 30 a 40 pessoas por dia. O movimento é sempre maior aos finais de semana e feriados”, destaca Osvair. Ao todo, são 25 trilhas existentes, que passam por inúmeras cachoeiras. Entre as trilhas mais conhecidas estão a Trilha do Paredão, Subida dos Macacos, Cachoeira Seca e Rotas das Cachoeiras. Também há área para camping, trilha de mountain bike e trilha para motos.

Boa parte do início da Trilha do Paredão passe pelas margens dos córregos. Foto: Tayana Vaz
Boa parte do início da Trilha do Paredão passe pelas margens dos córregos. Foto: Tayana Vaz

Na Trilha do Paredão, por exemplo, o grupo sai com Osvair do Recanto da Ceci e segue sentido ao córrego Pombal. Os turistas passam por uma ponte pequena, sobre o córrego, e em seguida percorrem as margens até chegar a uma cachoeira. O percurso conta com travessias pela água, barro, pedras e terreno escorregadio. Em seguida, o grupo sobe o córrego Pombal, até chegar onde o córrego Rochedinho se junta ao córrego Boa Vista, onde há mais uma cachoeira. O Rochedinho e o Boa Vista juntos, formam o Pombal. 

Turistas se divertem no Córrego Pombal. Foto: Osvair Barbosa
Turistas se divertem no Córrego Pombal. Foto: Osvair Barbosa

Por fim, há uma trilha relativamente desafiadora, pelo morro do Recanto. O detalhe é que no trajeto o turista pode degustar de frutas nativas da região como goiaba, seriguela, jamelão e também a cana-de-açúcar. Muito prestativo, Osvair ainda se dispõe a fotografar os turistas e chega a sugerir poses.

O passeio completo, com guia, custa R$ 40, porém, os preços devem subir em breve, conforme Osvair. “Teremos que fazer alguns reajustes”, pontuou. Além disso, no Recanto da Ceci é possível saborear delicioso almoço por R$ 20, mas os valores também devem ser reajustados em breve. A refeição caseira é feita com ingredientes da própria comunidade, como animais criados ali, verduras e legumes frescos diretos da horta.

Refeição servida po R$ 20 por pessoa no Recanto da Ceci - valores devem mudar. Foto: Tayana Vaz
Refeição servida po R$ 20 por pessoa no Recanto da Ceci – valores devem mudar. Foto: Tayana Vaz

Quando a equipe do Rotas do MS visitou o local, o cardápio do dia foi arroz, feijão, mandioca, salada de tomate com alface e repolho, abobrinha refogada, macarrão, carne de porco frita no tacho, miúdos e carne bovina assada. Os moradores ainda estão preparando a construção de um ‘redário’, a fim de dar mais opções aos visitantes. Os passeios têm início entre às 07h30 e 08 horas, pela manhã, e às 13h30 e 14 horas no período da tarde.

Para agendar os passeios é preciso entrar em contato com Osvair pelo telefone: 67 9976-7087