• qua. fev 21st, 2024

Costa Rica é destino para quem busca contato com a natureza

PorTayana Vaz

12 fev 2021
Cachoeira-Salto-Majestoso-Foto-Edemir-Rodrigues-12-1-1024x567

Considerado o melhor Carnaval da região Norte do Estado de Mato Grosso do Sul, Costa Rica (MS) sempre está na rota durante essa época por causa dos preparativos que o município realiza para receber foliões e turistas.

Por conta do cenário de pandemia e recomendações da Secretaria de Saúde, a prefeitura suspendeu as festividades carnavalescas em 2021. A decisão segue o Governo do Estado, que manterá o ponto nas repartições públicas entre os dias 15 e 17 de fevereiro.

Segundo o prefeito, Cleverson Alves dos Santos, a manutenção do ponto facultativo não se refere, no entanto, a legalização de festas e aglomerações, que continuam proibidas no município, para medidas contra a proliferação da Covid-19.

“Mesmo com o início da vacinação, a população precisa manter os cuidados para evitar a proliferação do vírus, como o uso das máscaras de proteção e o distanciamento social. O ideal é que as pessoas aproveitem o feriado prolongado pra ficar em casa” sugeriu o prefeito.

Rota para turistas

O município é um dos destinos ecoturísticos onde a rica biodiversidade chama a atenção. Para quem procura contato com a natureza e gosta de esportes radicais, Costa Rica (MS) é o destino ideal.

Seja para curtir a folia, prestigiar os atrativos turísticos ou contemplar as belezas naturais, a cidade dispõe rotas para todos os gostos:

  • Cachoeira da Rapadura: Sequência de pequenos saltos de águas cristalinas, início da descida do Sucuri, na borda do Planalto Central Brasileiro. É um local próprio para banho. Distância é 33 km; localização – próximo ao distrito de Lages.
  • Cachoeira das Araras: Uma queda com 30 metros de grande beleza, apresenta uma vegetação rica em espécies do cerrado, mata estacionária e ciliar de encosta com formação de vale profundo. Distância é 45 km Localização à Rodovia que liga Costa Rica a Alcinópolis.
  • Capela Senhor do Bom Jesus: Na Capela a tradição religiosa da família do major Taques deu origem a uma das principais lendas de Costa Rica: o “SANTO FUJÃO”. Quando os moradores construíram uma nova capela para abrigar a imagem do Senhor Bom Jesus, se surpreenderam ao perceber no dia seguinte à mudança que a imagem havia voltado para a antiga capela. O fato se repetiu inúmeras vezes até que decidiram cortar os pés do Santo para que ele não fugisse mais. Localizada na MS-306, a 30 km do município de Costa Rica.
  • Gruta Tope da Pedra: Um bloco de arenito, cujo interior apresenta abundância de inscrições rupestres, denominada Gruta Tope da Pedra, rica fonte para pesquisas e educação ambiental. Na borda da Serra das Araras, a 800 metros da estrada Costa Rica a Alcinópolis distante 54 km do município. Levar lanterna devido a escuridão da gruta.
  • Parque Estadual – Nascentes do Rio Taquari: O Parque foi criado devido à iniciativa da população preocupada com a proteção das nascentes do rio Taquari. Uma de suas grandes riquezas são os Sítios Arqueológicos, além de um cenário de ampla beleza cênica, que se compõe por um conjunto de seis grandes canyons, trabalho de milhões de anos de escavação na borda ocidental do Planalto Central Brasileiro, onde o pôr-do-sol é algo inesquecível.

O Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari fica a 50 km do Município, na MS 306 que liga Costa Rica a Baús. Ver o pôr-do-sol nesse local é uma experiência inesquecível.

  • Parque Nacional das Emas: Costa Rica participa do maior parque do bioma cerrado do Brasil: o PARQUE NACIONAL DAS EMAS, onde a área de 133 mil hectares, apresenta vegetação predominante de cerrado do tipo sensu strictu, com vasta diversidade de flora e fauna.

Apresenta ainda o raro fenômeno da BIOLUMINESCÊNCIA DOS CUPINZEIROS denominada “As luzes dos Chapadões, que consiste na irradiação de luzes fosforescentes de cor azul-esverdeada, produzidas por pequenas larvas que se hospedam nos cupinzeiros. Referência para pesquisadores e ornitólogos.

Localizado em Monte Pascoal, nº 334 – Boa Vista, 2MS 316 a 47 km de Costa Rica.

  • Parque Natural Municipal da Lage: No parque encontramos um balneário natural composto por diversas piscinas naturais do Ribeirão de Lages e um pequeno canyon com saltos, grutas sob pedras, corredeiras dentro da mata virgem, cuja beleza poderão ser observadas nos mirantes. Localizado às margens da rodovia MS-306 a 17 km de Costa Rica.
  • Parque Natural Municipal Salto do Sucuriú: Com área de 57 hectares e vegetação típica do cerrado, possui área para estacionamento de veículos, infraestrutura com lanchonete, banheiros, quadra de areia para prática de vôlei e futebol, quiosques próximos à piscina natural, mirantes onde podemos vislumbrar lindas cachoeiras.

A prática de esportes de aventura como rapel, rafting e tirolesa é pura diversão. A exploração das trilhas propicia ao visitante um contato direto com a mata virgem, a qual apresenta uma rica biodiversidade. Nas corredeiras do Rio Sucuriú a emoção toma conta dos turistas que praticam o rafting, no qual descem 8 km de corredeiras em um percurso de 2 horas e meia.

O circuito de tirolesa torna a visita ao parque municipal ainda mais inesquecível . Uma das vias com queda de 70 metros termina em um banho de piscina ( Tirolesa da Libélula), outra de 230 metros (Tirolesa do Tucano) e outra de 400 metros (Tirolesa da Andorinha) que proporciona ao turista uma visão maravilhosa do Salto Majestoso.

A atividade permite ao praticante a emoção de voar por vales contemplando as mais belas paisagens. Distância de 3 km Localização da acesso por meio de rodovia – Costa Rica / Paraíso.

  • Ponte de Pedra: O rio Sucuriú divide-se em dois braços, sendo que à esquerda o rio mergulha debaixo de blocos de pedras, criando uma ponte natural, esta característica marcante deu ao lugar o nome de Ponte de Pedra.

Os visitantes podem desfrutar de uma fantástica descida de rafting pelas corredeiras do rio sucuriú além de apreciar em suas margens exuberante paisagem nativa da mata ciliar. Na região do Muquém, área rural localizada a 56 km do município.

  • Santo Fujão: A colonização da região começou por volta de 1838, com a vinda do Major Martin Gabriel de Melo Taques e sua esposa que fugindo da Guerra dos Farrapos, no Rio Grande do Sul, chegaram pelo Rio Taquari ao Chapadão de Baús (que hoje é distrito de Costa Rica), tomando posse da área  e fundando a Fazenda Santo Antônio dos Dois Córregos.

Durante o período de colonização, a Região de Baús tornou-se fundamental como ponto de passagem e abastecimento para os colonizadores vindos do Triângulo Mineiro e Goiás, que se dirigiam aos Campos de Vacarias, Coxim e Cuiabá, vivenciando importantes fatos da história como a guerra do Paraguai e a passagem da Coluna Prestes. 

A tradição religiosa do Major Taques deu origem a uma das principais lendas da região: a lenda do “Santo Fujão”. Quando os moradores construíram uma nova capela para abrigar as imagens dos Santos da Família, e substituir a antiga Capelinha que já estava caindo aos pedaços, se surpreenderam ao perceber que, no dia seguinte da mudança, a imagem do Senhor Bom Jesus havia “voltado” para a antiga Capela.

O fato se repetiu inúmeras vezes, até que decidiram cortar os pés da imagem do Senhor Bom Jesus, para que o fato não ocorresse mais. 

Localizado na MS-306, a 30 km do município de Costa Rica.