• qua. fev 28th, 2024

Suspensos pontos facultativos

PorDa Redação

11 fev 2021
corumba_carnaval2018_Renê-CarneiroPMC-672x372

Medida busca evitar aglomerações e impedir o avanço da Covid-19 na região de Corumbá

Seguindo a orientação da Secretaria Municipal de Saúde, o prefeito Marcelo Iunes decidiu suspender os pontos facultativos do Carnaval 2021. A medida, segundo destacou o chefe do Executivo Municipal, busca evitar aglomerações e impedir o avanço da Covid-19 na região.

“O Carnaval é muito importante para a economia de Corumbá, seja para os grandes empresários, como donos de hotéis, restaurantes e postos de combustíveis, como também para os vendedores ambulantes, que muitas vezes usam esse dinheiro ganho durante a festa para sustentar suas famílias por meses”, afirmou Iunes.

“Mas neste momento de pandemia, não há como pensar em Carnaval. Rezamos para que a vacina chegue logo ao máximo de pessoas e que a gente consiga seguir nossa tradição, talvez no segundo semestre deste ano. Só que isso depende diretamente da imunização da nossa população”, completou o prefeito.

O prefeito também reiterou que a Secretaria Municipal de Saúde está seguindo rigorosamente o Plano Nacional de Operacionalização da vacina. O Ministério da Saúde está realizando o envio de doses conforme a produção e aquisição. À medida que os laboratórios disponibilizarem novos lotes de vacina, haverá nova distribuição e ampliação dos cronogramas de vacinação e dos grupos prioritários.

Carnaval

Conforme o calendário nacional, a terça-feira de Carnaval em 2021 cai no dia 16 de fevereiro. Desta forma, os pontos facultativos seriam na segunda-feira, dia 15, e na quarta-feira de cinzas, dia 17. Sem os pontos facultativos, a semana de trabalho nas repartições públicas municipais de Corumbá será normal na semana de 15 a 19 de fevereiro, uma vez que não existe um feirado municipal, estadual ou nacional para a Terça-Feira de Carnaval.

Recomendações

Até o último dia 9 de fevereiro, Corumbá registrou 8.668 casos confirmados de Covid-19, com 243 óbitos. Considerando a velocidade da transmissão da doença, o relatório da Coordenação de Vigilância Sanitária ressalta que “medidas não farmacológicas que restringem a aglomeração de pessoas e a intensificação de medidas de higiene são fundamentais, pois estamos lidando com uma patologia muito relacionada ao comportamento das pessoas”.

“O objetivo das autoridades de saúde neste momento não é o de zerar a transmissão, mas de diminuir a velocidade com que está correndo, evitando a transmissão fora de controle e mantendo a transmissão controlada para reduzir a disseminação da infecção e reduzir a pressão sobre o sistema de saúde do município, a Vigilância Sanitária não recomenda festividades relacionadas ao carnaval e pontos facultativos que incentivem eventos que promovem aglomerações e desrespeito aos cumprimentos dos decretos vigentes”, finaliza o relatório.